20 outubro, 2008

350. destino

Dentro do vagão do metrô, horário de pico, a cigana insiste em ler o meu destino por dois reais. Deixo. Ela enfia a nota amarfanhada entre os seios murchos, sorri com dentes de ouro e sussura: Jabaquara.

Um comentário:

Ella Mendes disse...

KKKKKKKKKKKKKKKK

ESSA FOI DEMAIS! KKKK

ABÇS D'ELLA.