14 junho, 2013

São Paulo Minha Cidade (Crônicas)

Disponibilizo algumas crônicas de minha autoria publicadas do Site São Paulo Minha Cidade

Itadakimasu!!! (Sirvam-se!)




http://www.saopaulominhacidade.com.br/autor/5282/Chico%2BPascoal

Anos 70's


Anos Doidos, doídos, aqueles, rapaz.

Em que macabros mágicos fardados faziam desaparecer pessoas.

Tempos de Milagre em que

poeta épico, achava-se o cara que tomava pico

poeta lírico, o maluco que viajava clandestino na infusão de lírio.

poeta concreto, o pretenso engenheiro ou arquiteto

Quando se aventurava nas nuvens esparsas do  abstrato.

 

Eu?

Eu naquele tempo apenas me trancava no banheiro de casa - claustro do noviço

(Eu e minha coleção de catecismos que me dera um velho zéfiro sacana e burocrata)

E solitário tentava suicídios em doses homeopáticas (petit mort*).

Ainda não rabiscava versos, é verdade

Mas já me autointitulava poeta menor,  PORNOsiano.

 

*. orgasmos

Ode ao Hipocondríaco (poema)


O hipocondríaco
Também ele maníaco
Pela origem remota das palavras
Descobriu que “hippo”  em grego é cavalo
E lhe deu um estalo:
Então é por isso
Que me apraz tomar
Remédios em dose cavalar?

O Catador (poema)


O catador de papel
No ato de reciclar
Prolonga a vida útil
Do que se despreza por inútil
Sem nenhuma serventia
Sem nada a oferecer
Ou que se possa aproveitar.

Merece o nosso respeito
O catador de latinhas
Não fosse ele – quem teria
Por uma questão de decência
Leve a sua consciência?

Trabalho de formiguinha
Pelas ruas da cidade
Garimpando o desperdício
Do consumo irresponsável
Que alimenta os monturos
Extraindo ouro puro
Do lixo não degradável.

Branco (miniconto)

Nos últimos tempos afligia-o a pureza e a perfeição de um branco imaculável e permanente. Desesperava-se,  pois suspeitava que a fonte, o veio, a inspiração, o sopro suave das musas tivesse se esgotado. Diante dos seus olhos angustiados a folha de papel, também branca, o desafiava. Começou a odiar aquela cor que era suma condensação de todas as outras. Custava-lhe admitir que todo aquele pesadelo devia-se a outro branco, o das carreiras, que dera para aspirar com cada vez mais frequência. Admitia: era mais aspiração, que inspiração.

ExpoSamba 2013 - Viaduto da Mooca - Um Samba à Adoniram

video



Compus este samba como um tributo ao inesquecível Adoniram Barbosa que tanto cantou São paulo e seus personagens. É, para todos efeitos, uma sequência da sua composição  "Saudosa Maloca", mostrando o que aconteceu depois com "Eu, Mato Grosso e o Joca".

O samba passou no primeiro teste ( o vídeo acima), embora as cordas do meu velho violão e também os meus dedos, estavam pra lá de enferrujados.

Na hora defendê-lo em eliminatórias, não pude comparecer por causa de outros compromissos.

Mas o samba tá aí.

"E se o Senhor não tá lembrado", como diria Adoniram, , "Me adescurpe, parceiro: mas tá dado o recado!"