23 janeiro, 2009

368. pena

No ginásio ainda ele roubou-lhe um beijo. Depois, mais tarde, roubou uma rosa e lhe deu de presente. Não demorou tomou de assalto o seu coração. Agora envelhecem juntos e ele deu para se queixar: parece que cumpro pena.

Um comentário:

beto guimarães disse...

Excelente conto minimalista, Chico. Digno dos grandes escritores. Saudações cordiais.